Brasileiras em Portugal sofrem com a discriminação

Fernando Moura- Especial para o UOL – Em Lisboa

.

.“A discriminação em Portugal é um fato”, diz energicamente Paula Toste quando questionada pelo UOL sobre a forma como foi tratada quando viveu na capital portuguesa Lisboa por duas vezes. “Sentia a discriminação pelo sotaque, era começar a falar que já olhavam de outra maneira. O fato de eu ser do Brasil era pior devido à péssima fama das brasileiras que vão para a Europa se prostituir.”

Como Paula, outras mulheres brasileiras que decidem emigrar para Portugal queixam-se cada vez mais de discriminação e do preconceito por parte dos portugueses em diferentes momentos da sua vida, mas principalmente na hora de arranjar casa para morar.

Mas o UOL apurou também que elas sofrem ainda insultos ou diferenciação salarial no trabalho, abusos de autoridade das forças de segurança e incorreto atendimento nos serviços públicos pelas situações do cotidiano. Estes fatos são os que mais queixas de discriminação racial geram neste país da Europa.
Um estudo apresentado em julho de 2007 pelo Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI), intitulado “Imigração Brasileira em Portugal” e coordenada pelo professor Jorge Malheiros, revelou que o 45,3% dos entrevistados consideram ter visto “bastantes” casos de discriminação da parte dos portugueses em relação aos brasileiros. Considerando conjuntamente os que assinalam “bastantes” casos e “alguns” casos, esse número sobe para 71,9%.

Apenas 19,3% dos entrevistados disseram nunca ter visto “nenhuma” situação dessas. Além disso, o relatório revela que 34,5% dos brasileiros entrevistados declararam ter tido conflitos com cidadãos portugueses pelo fato de serem brasileiros, mas 65,3% afirmam nunca ter tido esse problema.

A pesquisa ouviu 400 brasileiros que vivem em Portugal, sendo 255 homens e 145 mulheres. O levantamento foi feito a partir de entrevistas diretas, pessoais, que duraram cerca de 25 minutos e foram realizadas na residência dos entrevistados ou em locais públicos, de acordo com um questionário previamente elaborado.

Paula é luso-descendente. Nasceu no Rio de Janeiro e nos últimos anos esteve por duas vezes vivendo em Portugal, “uma porque ganhei uma bolsa do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português; outra, a procura de uma nova experiência profissional”, conta ela, que diz se sentir à vontade para comentar o assunto pelo fato de a sua origem ser portuguesa, o que reforça o seu desgosto. “O meu pai emigrou dos Açores para o Brasil”.

Sensivelmente magoada pela sua experiência européia, ela diz que trabalhou 9 meses em uma dependência do MNE e foi bem recebida, mas não se cansa de afirmar que a discriminação em Portugal existe e é visível, sobretudo para os imigrantes que não estão legais.

Paula, que é graduada em Comunicação Social por uma universidade do Rio de Janeiro, diz que não quer voltar mais ao país. “Portugal para mim só de passeio para matar as saudades dos familiares e amigos, que vivem nas Ilhas dos Açores. Viver ali novamente, nem pensar! Só voltaria a morar em Portugal se por acaso estivesse trabalhando em uma empresa do Brasil e fosse transferida. Mesmo assim, só iria se eu não tivesse opção de escolha!”

Discriminação por telefone
“As brasileiras começam a ser discriminadas já quando telefonam para pedir informações sobre aluguel de apartamentos”, conta Paula. “Uma amiga brasileira ligou perguntando o preço e a dona do apartamento disse que já tinha sido ocupado. Logo pediu para uma amiga portuguesa ligar e a mesma mulher disse o valor do aluguel e informou que ainda estava disponível. Ou seja, por causa do sotaque e percebendo que era brasileira foram negadas as informações.”

Aline também emigrou do Rio de Janeiro. Preferindo não divulgar o seu sobrenome, ela disse ao UOL que quando chegou a Aveiro, cidade no centro do país, procurou um apartamento para viver enquanto estudava. “Telefonei para várias pessoas. Uma senhora me disse que não queria brasileiras no apartamento dela. Expliquei que estava na Universidade de Aveiro e ela falou que já tinha ouvido essa história antes e encerrou a conversa. Outra senhora me convidou para visitar o apartamento só para saber como eu era, pois já tinha negado a uma outra pela ‘aparência duvidosa’.”

Para esta estudante, o preconceito se torna mais agressivo por ser quase declarado. Mas ela ressalta que não é só com os brasileiros que isso ocorre. “Também discriminam mães solteiras, pessoas que vão morar junto sem se casar. São coisas já ultrapassadas em outros países e que em Portugal são ainda importantes.”

Problema é pior na periferia
O ACIDI é um instituto público integrado na administração indireta do Estado, que tem como missão colaborar na concepção, execução e avaliação das políticas públicas relevantes para a integração dos imigrantes. O relatório do organismo sublima que os casos de “discriminação” estão se acentuando nos locais com maior concentração de imigrantes brasileiros, situados na periferia da capital portuguesa.Em contrapartida, o espaço caracterizado pelo maior cosmopolitismo e pela freqüência mais elevada de contatos interétnicos – que seria a capital Lisboa – registra a maior porcentagem de respostas no conjunto das categorias “pouco e nenhum caso de discriminação” e claramente a menor na categoria “bastantes casos de discriminação”.

No contexto da União Européia, um inquérito realizado pelo Observatório Europeu dos Fenômenos Racistas e Xenófobos, entre 2002 e 2005, a 1.619 imigrantes cabo-verdianos, guineenses, brasileiros e ucranianos residentes em Portugal revela que a maior taxa de discriminação se incidia na compra ou aluguel de um imóvel ou no pedido de um crédito bancário (42%) e no emprego (32%).

O último relatório de atividades da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) informa que, entre setembro de 2005 e dezembro de 2006, as grandes áreas de denúncias foram a laboral, forças de segurança e Estado, que representavam quase metade das 85 queixas apresentadas por particulares e associações.

Neste contexto, Manuel Correia, fundador da Frente Anti-Racista Portuguesa, alertou para as formas “sutis” de discriminação racial, que considera que têm grande peso. “São formas de discriminação disfarçadas para diminuir o outro, mas nem sempre se pode provar que se está a discriminar”, avalia.

Correia admite que se criam situações de “desencorajamento ao aluguel” de casas aos africanos e brasileiros, de “incorreto atendimento nos estabelecimentos públicos”, a falta de promoção de carreiras, os baixos vencimentos e “as expressões injuriosas” das chefias no posto de trabalho e a “desproporcionalidade do uso da força da polícia junto da comunidade negra”.

“Brasileiros fazem bagunça”
“Na minha opinião, os portugueses que alugam casas criam um preconceito em relação aos brasileiros e resolvem ignorá-los à sua maneira”, diz Flavia Santos, uma bolsista de investigação brasileira que está estudando na Universidade Nova de Lisboa.

Flavia contou ao UOL que em uma das ligações que fez durante a procura de apartamento, uma senhora perguntou a ela de onde era. Quando disse que era do Brasil, a senhora falou que não alugava quartos a brasileiros. “Perguntei a ela o motivo e ela me disse: ‘já tivemos experiência antes e sabemos como são os brasileiros. Gostam de pôr a música nas alturas e fazem bagunça’. As palavras dela apenas confirmaram o que eu já sabia.”

A estudante disse que é difícil fazer comparações, mas pensando em experiências que teve em Lisboa e em Londres, na Inglaterra, percebe que a situação em Portugal é mesmo mais grave. “Em Londres, consegui arrumar um quarto no mesmo dia em que cheguei. Portugal é um país provinciano. A maioria da população é idosa e isso dificulta a negociação e vem se somar à barreira do preconceito que têm com brasileiros e com africanos. Ao final disto tudo, acabei por arranjar um quarto em uma casa que divido com outros brasileiros.”

Ana Paula Bittencourt atualmente trabalha em uma clínica médica para poder custear o curso de mestrado em uma universidade de Lisboa. Ela diz que na chegada ao país foi mais difícil o convívio porque sentia muito as diferenças. “Agora já não ligo muito. Acho que o pior era uma certa desconfiança do que você está fazendo por aqui”, diz ela.A estudante diz que na primeira casa que alugou o dono mal falava com ela. “Só ficamos amigos depois que ele percebeu que eu não vim para cá para ‘tentar a vida’ [prostituir-se]. Quando saí de lá, o proprietário da casa onde moro atualmente comentou que se não tivéssemos um amigo em comum ele não alugaria a casa para uma brasileira.”

A jovem que emigrou de Joaçaba (Santa Catarina) sente que a discriminação com os negros e imigrantes do leste europeu é muito maior que com brasileiros. “Tenho a idéia de que o pensamento aqui é que existem muitos brasileiros ‘gente boa’, que são simpáticos e trabalhadores. E trabalham naquilo que os portugueses não querem trabalhar. Mas com os negros isso não acontece. Nenhum se salva.”

Conflito interno entre portugueses
Para o sociólogo carioca Marcos de Oliveira Gaspar – filho de um cidadão português emigrado para o Brasil na década de 1950 – e que chegou a Lisboa em maio de 2001 por meio de uma bolsa do Ministério dos Negócios Estrangeiros Português (MNE), a discriminação com os brasileiros é um conflito interno entre os portugueses.

“Como pode um povo discriminar os brasileiros e participar de forma tão intensa de um festival como o Rock’n Rio/Lisboa, com diversos artistas brasileiros. Acho que os brasileiros entraram em um processo de discriminação que é um fenômeno europeu, em decorrência da globalização econômica que, por conseqüência, atrai cidadãos de outros continentes que sofrem com as freqüentes crises econômicas, políticas e sociais das últimas três décadas.”

Gaspar estudou o fenômeno da imigração em uma universidade de Lisboa e afirma que na hora de alugar uma casa, os portugueses irão preferir sempre um cidadão português. “No Brasil também é mais fácil alugar uma casa para um brasileiro do que a um estrangeiro. Fica mais fácil de resolver a documentação e confiar. No meu caso, que aluguei um apartamento com um amigo argentino, acabei tendo a preferência em relação a uns italianos. Mas claro que o fato de os dois sermos filhos de portugueses ajudou.”

Liliana é um exemplo de brasileira que nunca sentiu o preconceito por ser do Brasil, mas sim por ser simplesmente imigrante. Ela migrou para Lisboa em 2002 e trabalha para um órgão do governo. “Eu me sinto discriminada por ser imigrante e não por se brasileira”, afirma. “Como não posso ter Bilhete de Identidade, também não posso comprar uma casa ou pedir um empréstimo. Não posso nem ter cartão de descontos da Fnac porque não tenho documento português”.

Mas o sociólogo diz acreditar que se não houvesse essa forte imigração para Portugal, os brasileiros continuariam sendo muito bem recebidos. “Como ocorreu até o final da década de 1980, coincidência ou não, o período que Portugal entra na Comunidade Européia e o Brasil vive sua pior crise econômica.”

Anúncios

31 Respostas

  1. Na revista Cláudia do mês passado saiu uma reportagem de várias páginas em que a manchete era.: “Brasileira = Prostituta” em Portugal e Espanha. Tem histórias chocantes, até de uma estudante de mestrado gaúcha que voltou com síndrome do pânico para o Brasil d tanto que eles a maltrataram.
    http://claudia.abril.com.br/materias/2831/?sh=31&cnl=35

    E veja o que encontrei em um fórum português:

    “Se fosse eu a mandar, proibia que brasileiros clandestinos, como os milhares que cá estão, entrassem neste país, perseguia-os e expulsava-os.
    Só vêm para cá para se prostituirem, e com isso, carregar de doenças aqueles que se deixam levar na conversa da treta que elas tão bem tentam ter….. de facto é mesmo uma treta. Além de serem feias e feios também cheiram mal, a vida não é só samba, agressões e sexo, para isso fiquem na ***** do vosso país.”

    Na reportagem da Cláudia fica claro que qualquer brasileira é prostituta mesmo não sendo a verdade. Eu fico impressionada como ainda tem brasileiro que defende esta gentinha, arrumando desculpas para tentar legitimar as atitudes deles e mais impressionada ainda por saber que ainda tem gente que viaja pra lá.
    —————————–

    Alguns blogs de pessoas que são discriminadas:
    amadacrisalida.blogs.sapo.pt/58768.html?page=3#comentarios

    Depoimento:
    reflexoeseperdadetempo.blogspot.com/2008/02/preconceito-medo-ou-o-que.html
    Muito interessante sua postagem, principalmente por permitir trazer o assunto para questionamento pelos leitores. Moro atualmente em Lisboa, vim para cá fazer um mestrado com duração de dois anos, tendo já cá vivido há um. O preconceito contra brasileiros em Portugal é um fato, e para ser bem sincera, eu não estava consciente disso antes de vir para cá (confesso que se eu soubesse a proporção, teria escolhido um outro país para fazer minha pós-graduação). Não conheço aqui um único brasileiro que não tenha sido mal-tratado pelo menos uma vez em algum estabelecimento comercial (por preconceito) ou que não tenha ouvido direta ou indiretamente algum português a maldizer os brasileiros (não em tom de piada ou brincadeira, mas em tom de preconceito mesmo). Os próprios brasileiros aqui costumam dizer: em Portugal existe um tratamento para os 3 tipos de pessoas que há aqui: o português, o brasileiro e o africano, e o estrangeiro. Para dar um exemplo mais concreto, tive 4 disciplinas na faculdade antes de começar a trabalhar na minha dissertação. Das 4, em 3 tive professores portugueses (1 delas a professora era brasileira, ótima por sinal, vinda da universidade de Brasília, por um programa das duas universidades). Todos os meus professores portugueses demonstraram preconceito, uma de maneira mais direta. Meus colegas o digam…inclusive os próprios portugueses. Até para encontrar um lugar para morar tive dificuldades, tão logo meu sotaque era identificado, já diziam que “o quarto já tinha sido alugado” (para um anúncio postado recentemente no classificado, eu, ligando de manhã…).
    Entretanto, existe um outro lado da moeda, que não me faz compreender o preconceito (que leva a tratar uma pessoa não por quem ela é, e sim por um rótulo pejorativo)mas que faz tudo isso ter alguma razão. Existem tantos brasileiros (sendo a maior parte ilegais) vivendo em Lisboa atualmente, que seria quase impossível chegar a um estabelecimento comercial (sobretudo em restaurantes ou do gênero) e não ser atendido por um brasileiro. Acontece, que ao contrário do que o português pensa, isso não dá qualquer motivo para maldizer um brasileiro, uma vez que se há tantos e ilegais, seria isso “mal-caratismo” nosso ou incompetência deles de gerir suas fronteiras ? E ultimamente, estou sabendo de casos de estudantes e turistas barrados sendo confundidos com imigrantes ilegais prospectos: mais uma prova da incompetência (de ordem muito grave na minha opinião – e para que eles, portugueses e quaisquer outros do fechado clube dos ‘desenvolvidos’ consigam ver a gravidade, é necessário que se imaginem nessa situação). Já um outro fato, que realmente é fundado, tem a ver com a comprovação de um mal-caratismo generalizado. Eu mesma já ouvi vários casos aqui de brasileiros a roubar, assaltar ou comentendo delitos ‘menores’ (como todos que seriam subentendidos pela lei de Gerson). Aqui existe brasileiro passando a perna em outro brasileiro, em português, enfim… a pior mazela de nosso país, e que parece ter levado a fama a proporções estratosféricas: a malandragem ou a falta de caráter (que pra mim significa a mesma coisa). Eu me sinto confusa entre ter vergonha de tudo que comprova a nossa triste fama, entre saber que nosso país tem uma economia e outros setores tão fortes, em ser contra o preconceito, porque uma maioria não significa todos, e tratar uma pessoa mal sem saber quem ela é, antes de tudo, pra mim, também é falta de caráter.
    Hoje, penso em terminar minha tese, voltar para o Brasil e sair de lá para gastar meu dinheiro no exterior apenas em outro país de ‘terceiro mundo’, assim, pelo menos, sinto que estou fazendo um melhor investimento para minha dignidade, e para o mundo também.

    — —- —- —– — —–
    Vejam os TURISTAS portugueses que vêm ao Brasil: (tirado de uma revista portuguesa)

    Há 2 milhões de de menores vítimas de exploração sexual em todo o mundo. “O Brasil é um dos principais produtores de carne barata infantil”. E os portugueses estão entre os primeiros clientes. Em Salvador, Porto Seguro e Fortaleza, algumas das cidades mais procuradas por turistas sexuais, encontrámos famílias que dependem co corpo dos filhos para sobreviver, meninos de rua e crianças viciadas em crack.

    ps: veja como o jornalista se refere às crianças: “carne barata infantil” – O que esperar desse tipo de gente que se refere a um país como produtor de carne barata infantil?

    clix.visao.pt/

    Eles vão fazer turismo sexual com “crianças” das regiões mais carentes do país. (Já não basta os milhões de problemas que temos pra resolver, ainda vem esses pedófilos pra cá.)

  2. Vejam que não é de hoje

    Leiam o triste relato de uma mãe cuja filha passou por maus pedaços em Faro, Portugal:

    “Prezados amigos,

    Sei que o meu desabafo foge ao espírito de qualquer grupo, mas peço-lhes paciência, solidariedade e, sobretudo, a necessidade de praticar alguma ação que se expanda e abra os olhos das autoridades, que, normalmente, por estarem acima do bem e do mal, pouco se lixam para os problemas que afetam o povo.

    Esta é uma campanha que estou lançando por amor ao respeito devido ao ser humano, seja ele de que raça e credo for.Esta é uma campanha que estou lançando contra o preconceito racial de Portugal contra os brasileiros. Esta é uma campanha em que digo:

    BRASILEIROS, NÃO VISITEM PORTUGAL SE NÃO QUISEREM SER HUMILHADOS, DESRESPEITADOS, AGREDIDOS.

    Esta campanha é assinada embaixo por meu marido, português, cuja família vive em Portugal e é reconhecidamente uma família de prestígio por lá.

    Muito bem: vamos à história.

    Sou filha de italianos e minha família inteira possui passaporte italiano, que me foi negado por ter-me casado com um cidadão português, em 1963. Assim sendo, minha filha teve de tirar um passaporte português, direito que lhe é concedido por lei. Minha filha é médica, pessoa culta, educada, extremamente capaz em sua profissão e que tem seu lugar guardado por onde passou como profissional no Rio de Janeiro.

    Acontece que há cerca de 20 anos atrás, ela conheceu um inglês e este homem conseguiu, após todos esses anos de insistência, levá-la com ele para Londres, onde vive. Há 4 anos, minha filha vive lá. Ocorre que, nesta semana que se passou, eles foram a Portugal, pois seu marido ainda não conhecia o Algarve. Pois bem, desde o momento em que pisaram no aeroporto de Faro, começaram as humilhações e desacatos para minha filha, praticados por funcionários da imigração.

    Na chegada, o português olhando o passaporte de minha filha, mal o tocou, pois é um passaporte português e, todo sorridente, deu-lhe, após devolver-lhe o passaporte, um caloroso sorriso e desejou-lhe um bom dia. O mal estar todo começou quando, minha filha respondeu-lhe com outro “bom dia”. Ele, imediatamente, ao ouvir-lhe o sotaque brasileiro, fê-la voltar e arrancou-lhe (ARRANCOU-LHE!) o passaporte das mãos e, sem nada dizer, reteve-a por mais de 15 minutos, olhando e revirando o dito passaporte em todas as folhas, contra a luz, voltando à fotografia, examinando-a e encarando a minha filha, para ver se era mesmo ela e, ao fim, carimbou, quase sobre a sua foto, um código, que ela quis saber o que significava, mas que ele se negou a esclarecer.

    Seu marido, com passaporte inglês, não teve nenhum problema nem carimbo algum.No entanto, todos sabem muito bem o que os ingleses acham dos portugueses…

    Pois hoje, retornando para casa, em Londres, foi novamente humilhada e desrespeitada no mesmo aeroporto de Faro, por outro abusado funcionário, que a fez chorar. Ele começou a fazer-lhe perguntas, que, suponho eu, não teria direito algum de fazê-las. A primeira foi: onde e como havia ela conseguido obter o passaporte português. Ao responder que seu pai é português… o que respondeu o dito funcionário?

    “-Ah… entendo… seu pai foi dar uma voltinha no Brasil e assim deixou-lhe esta herança de poder usufruir do nosso passaporte!…”

    Ao que ela respondeu que seu pai vive no Brasil desde a adolescência, que aqui estudou, se formou, constituiu família. Ele quis saber então, o que era o sobrenome Ziliotto, que não era português. E ela respondeu que sua mãe é italiana. Ao que ele debochou: ah… seu pai foi daqui pra pegar uma italiana no Brasil… e deu uma risadinha de escárnio.

    Depois, quis saber por que motivo ela estava indo pra Inglaterra e não de volta ao Brasil e o que ela pretendia fazer na Inglaterra – como se ele fosse um funcionário da imigração da raínha inglesa… e quando ela lhe disse que lá vivia há 4 anos, ele acintosamente lhe disse que o seu lugar não era na Europa e sim de volta ao Brasil, que é uma terra tão boa… e de onde ela não deveria ter saído.

    Sei de inúmeros casos deste racismo, deste preconceito nojento dos portugueses contra os brasileiros. Nada tenho contra portugueses, gosto muito da família de meu marido, gosto do país, mas esta mentalidade tem de ser mudada já! Esse desrespeito acintoso, despropositado, essa terrível implicância com os brasileiros.

    O Brasil era muito bom quando todos vinham pra cá, na época da guerra e os fazia enriquecer, a custa de trabalho, sim, mas que lhes permitia levar o rico dinheirinho para suas terras, seus familiares passando necessidades e tudo o mais que bem sabemos. O brasileiro naqueles tempos lá era recebido até subservientemente, com incríveis bajulações e respeito.

    Depois que Portugal foi incluído e aceito pela comunidade européia e teve uma acentuada melhora de vida, crescimento, começou a menosprezar o povo brasileiro. Durante a faculdade mesmo, minha filha teve uma colega retida ao chegar em Lisboa com os pais – ambos portugueses! – , por ser brasileira. Há uns 10 dias, um rapaz que ia fazer um curso na Espanha e teve a má sorte de ter de fazer uma parada para troca de aviões em Lisboa, foi retido – apesar de não estar indo para Portugal, onde ficou, preso no aeroporto por 2 dias! – impedido de continuar sua viagem à Espanha e sendo devolvido ao Brasil. São abusos e mais abusos em nome de quê?

    Se é assim, vamos também começar a hostilizar os portugueses, impedi-los de visitar o país ou seus familiares. Se somos personas non-gratas a eles, temos de lhes dar o troco na mesma medida. E, mais que tudo: se é para maltratar os descendentes seus que possuem passaporte português, obtido segundo a Lei como um direito, o melhor é pararem com esta hipocrisia e negar-lhes isso.

    Ah… em tempo: o carimbo no rosto do passaporte de minha filha é indicativo de ser ela SUL-AMERICANA. Ou seja: leprosa ou pior para os portugueses! Ou também outra conotação muito ouvida por lá: brasileira é vagabunda. Para eles essas palavras são sinônimas. (É óbvio que não será assim para todos, mas para a grande maioria).

    Meu marido está escrevendo uma carta de protesto à Embaixada portuguesa e eu vou escrever aos nossos embaixadores no Brasil e em Portugal, pois que nada fazem, ficam de braços cruzados ao ver tudo isso se repetir diariamente em seus postos de acesso ao país.

    Peço-lhes por favor, que reencaminhem esta carta aos grupos todos de que participam, aos seus amigos, conhecidos… enfim, a todos! Se não lutarmos por nossos direitos, sejam eles os mais comezinhos, ninguém o fará por nós.

    Muito obrigada,
    myrthes ziliotto
    2004-07-24 13h16m”

    oglobo.globo.com/blogs/cat/default.asp?a=5&periodo=200407

  3. Sem contar os comentários de portugueses (comentário abaixo) que está lá no post de denúncias:

    Anónimo disse…

    EM PRIMEIRO LUGAR QUERIA DIZER QUE DETESTO TUDO QUANTO É BRASILEIRO, A MANEIRA NOJENTO E PRIMÁRIA, MENTALIDADE DA FAVELA… A BRASILEIRADA NÃO TEM NADA DE BOM, NADA QUE SE POSSA APROVEITAR… SÓ DE PENSAR QUE O MEU QUERIDO PAÍS ESTÁ ATAFULHADO DESTES ANIMAIS DA FAVELA, FICO DOENTE….
    JAMAIS ESCREVEREI E FALAREI COMO ESSES INDIOS PORCOS TERCEIRO-MUNDISTAS FAVELADOS… NUNCA
    AMAZÓNIA, VAI PASSAR A SER AMAZÔNIA, ELECTÔNICO, e por aí fora… NEM MORTO…
    A CULPA TAMBÉM PASSA POR ESSA KORJA DE BROXISTAS TIPO ALBIN… E OUTROS QUE QUANDO VÊEM UM FILHO DA PUTA ESPANHOL OU BRASILEIRO PÕEM-SE LOGO DE CÓCORA….
    KAMBADA DE FILHOS DAS PUTAS BROXISTAS PANASCRÓIDES…. SOIS VÓS QUE ENVENENAIS ESTE PAÍS….

    provaoral.blogspot.com/2008/03/o-novo-acordo-ortogrfico-foi-ratificado.html

  4. O Brasil precisa sair da alienação e se dar conta do que está acontecendo. Acho que a imprensa acordou para isso, porque tem que haver uma campanha para que ninguém mais pise naquele país.

    A divulgação aqui no blog é essencial. Este tipo de conscientização é importante porque termina de vez com aquele papinho otário de “unionistas” de que somos países irmãos, que falamos a mesma língua e mais este tipo de bobagens. Boa parte dos brasileiros não tem nenhuma ligação étnica com lusófonos (eu por exemplo), não temos ligação econômica ou educacional, nossa língua é ultra diferente, a história só é comum no passado bem remoto, a cultura brasileira é super diversa, nossa personalidade é oposta a deles. Eu acho a que o Brasil tem mais em comum com a Guiana do que com Portugal.

  5. Eu estava pesquisando assuntos sobre todas as reformas ortográficas e achei muitos fóruns portugueses com mensagens racistas e intolerantes, faço as palavras da Mª Luiza as minhas – o Brasil não tem nada em comum com aquela gente –

    Vejam os comentários deste fórum português:
    __________________________

    Os/as “brazucas” que por aí polulam são na verdade o “lixo” do país deles, oriundos das “favelas”, antros de criminalidade. Não entendo é como há quem aceite ser atendido num local qualquer, por alguém que não sabe, nem se esforça, por falar português.
    _____________________

    Concordo contigo camarada, mas na verdade há quem não se importe e não ligue nada a isso..
    Eu recuso-me a ser atendida por coisas dessas, mas há quem até “as” prefira, visto que depois do horario de trabalho sempre podem ir dar uma “voltinha”!!!
    ______________________

    Já assisti a pessoas que se recusaram a ser assistidas por brasileiros no meu local de trabalho =) Adoro quando isso acontece e depois riu-me na cara deles qd o cliente baza 🙂
    _________________________
    forumnacional.net/showthread.php?t=29016

    NOJO! E PENSAR QUE ESTA NACIONALIDADE JÁ FEZ PARTE DA NOSSA HISTÓRIA.

  6. Sabe o que é mais cômico? É que há muito mais portugueses no Brasil do que brasileiros em Portugal. Melhor ainda, tem mais imigrantes portugueses no mundo do que a totalidade de brasileiros no exterior. (Eles tem quase 50% da população emigrada, o Brasil tem 2%)

    Minha pesquisa junto com dados deste do blog =

    Brasileiros que vivem em Portugal (legais + ilegais)= 130 mil

    Portugueses que vivem no Brasil (apenas os legais)= 280 mil

    Não são uma piada?

    Já pensou se o Brasil se torna um país xenófobo e resolve expulsar todos os estrangeiros que moram aqui? Vai ter país com gente saindo pelo ladrão.

    Não quero que isso aconteça pois adoro nossa diversidade; eu, por ex, sou neta de imigrantes alemães. Mas acho que tá na hora do Brasil deixar de fazer o papel de bonzinho otário.

  7. Lamentável!

    Tinha outra imagem de Portugal.Bom saber.

  8. BOA NOTÍCIA:

    NÚMERO DE BRASILEIROS EM PORTUGAL CAI 2%

    noticias.uol.com.br/ultnot/lusa/2008/07/05/ult611u78558.jhtm

  9. Brasileiros lideram queixas por discriminação em Portugal

    Os imigrantes brasileiros são os que mais se queixam de discriminação em Portugal. Segundo as estatísticas da Unidade de Apoio à Vítima Imigrante e de Discriminação Racial e Étnica (Uavidre), 32,4% dos processos abertos no ano passado foram por reclamações de brasileiros. Seguem-se os cabo-verdianos, com 12,6% e os angolanos com 9%.

    bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/03/070321_brasileirosportugal_jr_cg.shtml

    Desiludida, brasileira quer voltar de Portugal

    […]
    Discriminação

    Com tempo livre durante a semana, ela foi atrás de uma vaga em uma loja que, segundo seus amigos portugueses, estava contratando funcionários. No entanto, ao chegar ao local para conversar com a dona do estabelecimento, Janice recebeu um “não”. A proprietária disse que não a contrataria porque não queria brasileiros no local.

    “A discriminação acontece em todos os lugares e a todo o momento, mesmo que seja de maneira indireta”, afirma. “Acho isso muito injusto porque, no Brasil, somos abertos a todos os estrangeiros.” […]

    bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/03/080324_imigracaojanicedesilusao_vr.shtml

  10. Meus queridos colegas médicos brasileiros, por favor, ir para Portugal? É o fim da linha. O pior país da Europa, a pior economia da Comunidade Européia, com universidades de medicina sem expressão internacional… Qual congresso mundial de medicina, em qualquer especialidade, que vocês já foram que tinha um palestrante português que era respeitado na comunidade científica internacional? Eu deconheço. Se é para ser imigrante e sofrer pressão, pelo menos, vão para um país que valha a pena, como Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, França, Alemanha. Se for para ficar em uma porcaria de país, acho que no Brasil está melhor.

    Esta é a minha resposta a este imbecil do ANÔNIMO (que não teve coragem nem de assumir o que diz) que nos chama de favelados. Acorda seu portuga nojento!!! Seu império já ruiu há mais de 500 anos e não somos mais colonos.

  11. concordo com o anônimo o brasil tem que passar a ser xenófobo e expulsar esses portugas de garganta intalada pra fora daqui

  12. Caso vocês não saibam existe ainda xenofobia nos dias de hoje…

    Nunca na minha vida presenciei qualquer acto de xenofobismo por parte de portugueses, mesmo quando não tem brasileiros por perto..

    Encontram algumas pessoas xenófobas, culpam logo o país inteiro…
    Pois bem, eu fico triste em saber que existe muitos xenófobos também no Brasil, um monte, de insultos que já li na Internet…
    Até vocês aqui nos comentários.

    Se nós somos xenófobos, vocês são iguais.

    À parte, continuo a adorar o Brasil e os brasileiros, apenas ignoro dementes e desumanos como os que vejo aqui e noutros sítios.

  13. Sr. acima,
    quanto a fatos concretos e reais não há argumentos.

  14. Sra Acima,
    Existe sim argumentos, pelo menos neste caso.
    Acha que já não sabia que existia pessoas xenófobas aqui ?
    É óbvio que já !
    Mas daí a culpar um país inteiro ?

    Aí no Brasil, acontece o mesmo. Existe. Mas daí a discriminar o país inteiro…
    A própria senhora é outra.

    E não é senhor. Não tenho a sua idade, ainda nem sou considerado adulto, mas pelo que vejo, devo ser o único “adulto” que ainda sabe o que é o respeito ao próximo, e a dignidade e respeito humano.
    Tenho dito.

  15. Uma depoimento:

    Turismo em Portugal

    Portugal nunca povoou meus sonhos turísticos. Minha esposa, entretanto, num passeio por vários países da europa, passou alguns dias na capital daquele país. Não se deu bem. Sua impressão foi a de que os lusitanos odeiam os brasileiros. As impressões foram tão fortes que as digitais de um motorista de taxi de Lisboa voltaram em seus braços, numa agressão que terminou na delegacia de polícia local. Esta foi a violência mais explícita, vamos dizer assim. Os portugueses não gostam de dar informações para turistas, especialmente brasileiros. Ironias, agressões verbais e referências preconceituosas foram uma constante durante sua estadia.

    Uma amiga que esteve em Portugal no ano passado confirma. Diz que só não foi mais traumático o contato com os portugueses, porque só saía com brasileiros bem estabelecidos social e economicamente em Lisboa. Então, houve uma aproximação mais respeitosa. As duas concordam, entretanto, que os portugueses tratam os brasileiros como invasores.

    Nas lojas, minha amiga ouviu petardos como “para que você quer saber o preço se não vai levar?”. Ao perguntar a um senhor como chegar a um determinado local, minha esposa teve como resposta que deveria trocar de terminal de metrô. Quando perguntou qual terminal, o “cavalheiro” saiu-se com esta: “Não sabe o que é trocar? Não sabe o que é cambiar? Vocês brasileiros julgam-se muito espertos, mas quando chegam aqui só fazem besteiras”.

    Recentemente, um grupo de brasileiros foi barrado no aeroporto de Lisboa. Sofreram toda sorte de agressões morais e verbais. Passaram mais de 24 horas numa sala sem ter onde sentar ou mesmo satisfazer suas necessidades básicas. A tortura terminou com a deportação. A embaixada brasileira ficou de investigar o caso para se posicionar. Nunca mais ouvi falar do assunto.

    O ator da Globo André Gonçalves, que fez o papel de Apingorá na mini-série “A Muralha” e Sandrinho em “A Próxima Vítima”, foi espancado na madrugada do dia 05 de outubro na saída da churrascaria Porcão, em Lisboa. Segundo informações, os próprios seguranças do restaurante (que é brasileiro) teriam sido os responsáveis pela surra. Ainda não se sabe o motivo, portanto é cedo para julgamentos. Não encontrei mais notícias sobre o assunto, nem mesmo se o ator passa bem. A última informação é de que estava com traumatismo craniano.

    baguete.com.br/colunasDetalhes.php?id=300

  16. Dona Maria Luiza, acorde para a realidade, parte de informações desse género são bem exageradas, e não são acontecimentos diários. Praticamente alguns desses casos aconteceram com intervalo de anos.
    Mas também não vou mais defender nem responder a nada. mas quer continuar a odiar, de uma maneira estúpida e de uma elevada demência, continue. Não estou nem aí para mais uma brasileira preconceituosa. E são muitas/os.

    🙂

  17. Depoimento de uma brasileira que vive em Portugal:

    Minha professora aqui em Nottingham é brasileira, vive na Inglaterra há muitos anos, e não gosta de ir a Portugal. Diz que fica impressionada com a diferença de tratamento que dão a ela e ao marido inglês. “Com ele são gentis e simpáticos, comigo é outra história”. Um leitor, filhos de portugueses que moram no Brasil, também conta que não gosta da maneira como portugueses tratam brasileiros.

    Outro dia, fiquei chocada com uma cena que presenciei dentro de um ônibus. Um passageiro gritava e reclama porque outro não tinha pago a passagem. Entre vários comentários racistas, ouvi a frase: “esses pretos e os brasileiros só vêm a Portugal para fazer m…” A confusão, que ao final já estava envolvendo todos os passageiros (nenhum dando razão ao reclamante, diga-se), acabou com a polícia a tomar os dados de alguns dos envolvidos. Deixei os meus voluntariamente para ser testemunha, caso a mocinha negra indignada que foi defender o outro passageiro quisesse mesmo formalizar a queixa de racismo.

    oglobo.globo.com/blogs/portugal/default.asp

  18. Proporcionou-me bons momentos de diversão dona Luíza. É bem engraçado só imaginar a sua cara de parva tentado provar coisas inúteis, e deitar mais lenha para a fogueira.
    ahah, o bom é que eu sei, que vai se dar mal na vida.
    Karma .;)

  19. Acabei de ler esse forum por acaso e estou muito escandalizada! moro na Alemanha, sou casada com alemao, sou brasileira. Depois disso que lemos jamais pisaremos em Portugal, Deus nos livre! Obrigado pelo aviso, fiquem com Deus!

  20. BOA NOTÍCIA!!!!!!

    Triplicaram os pedidos dos imigrantes que querem sair de Portugal. Brasileiros são três quartos do total

    Aumenta de dia para dia o número de imigrantes brasileiros que querem regressar ao seu país. Este ano, só até final de Outubro, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) recebeu, no escritório de Lisboa, um total de 854 pedidos de retorno ao país de origem – mais do triplo dos que se registavam em 2006. Desses, 653 são de brasileiros.

    Entre as causas mais importantes para o crescimento do fenómeno estão a forte vulnerabilidade económica e social em que estas pessoas se encontram, diz ao PÚBLICO Marta Bronzin, coordenadora do Programa de Retorno Voluntário da OIM. “Estão em trabalhos instáveis, mais expostos a flutuações, como a construção civil ou a restauração.”

    Esta tendência “verifica-se desde 2003, mas acentuou-se a partir de 2006”. Entre 2006 e 2009 (até Outubro), os pedidos de apoio passaram de 252 para 854. Comparando as mesmas datas, os pedidos oriundos de brasileiros passaram de metade para 76 por cento do total.

    A OIM responde aos pedidos de apoio pagando o bilhete de avião e avaliando, caso a caso, o plano de reintegração de cada pessoa. “Damos um subsídio de reintegração que crie todas as condições para umregresso sustentável.” O montante deste subsídio pode chegar aos 800 euros, dependendo do tipo de negócio que cada pessoa pretende desenvolver.

    publico.pt/Sociedade/triplicaram-os-pedidos-dos-imigrantes-que-querem-regressar-ao-pais-de-origem_1408407

  21. Lol.
    Nessa notícia, apenas mostra que os brasileiros não conseguem arranjar emprego. 😛

  22. É uma pena que este blog alimente mais ainda os que todos os participantes têm vindo a criticar.

    Bem haja A TODOS, sejam portugueses ou brasileiros!

  23. É, o mundo dá voltas!!!

    Quem te viu!

    Estudo mostra discriminação contra brasileiros em Portugal
    http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI3720271-EI8142,00-Estudo+mostra+discriminacao+contra+brasileiros+em+Portugal.html

    Quem te vê!

    Portugal à beira da bancarrota
    http://aeiou.expresso.pt/portugal-mais-proximo-da-bancarrota=f578946
    http://dn.sapo.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1544983

    Merkel defende expulsão da zona euro de países que não cumpram as condições
    http://economia.publico.pt/Noticia/merkel-defende-expulsao-da-zona-euro-de-paises-que-nao-cumpram-as-condicoes_1427663

    Enquanto isso no Brasil…

    Time aponta Lula como o mais influente do mundo
    http://portalexame.abril.com.br/economia/noticias/time-aponta-lula-como-mais-influente-mundo-554353.html

    É, né?! ai ai…. kkkkk

  24. Portugal é uma merda na cauda da europa!!!!!!!!!!!!!
    Os portugas cheiram bosta!!!
    È o país mais pobre da união européia!!!!
    O desemprego é total!!
    È um povinho estranho com dentes podres e que mau toma banho!!!
    São todos fila da puta!!!
    Burros do caralho!!!

  25. é a dança das nações … e não esqueçam todos fazemos parte da mesma humanidade e ela se dirigi para o mesmo fim … a autodestruição; sejam brasileiros…portugueses, sul-americanos, estadunidenses … etc etc … pena é que as pessoas não vejam isso.

    Racismo ? xenofobia ? preconceito ? sempre haverá … no momento em que existe sempre um fragilizado que procura algo e o outro numa posição de poder.

    E os países … na sua procura pelo poder … declarado ou não ?!?! não é xenofobia ?!? não é racismo ?!?!

    não querendo ser também preconceitoso …
    falam em milhares de emigrantes portugueses no brasil e depois de outros milhares em portugal. As contas estão erradas …
    mesmo que existam milhares de portugueses no brasil o rácio é inferior do acontece em portugal…

    130.000 brasileiros para uma população de 10.000.000 de portugueses… é diferente de 260.000 de portugueses para uma população de 180.000.000 de brasileiros … as porcentagens são diferentes…

    bem hajam todos !!!

  26. Antes de pensarem … e decidirem baseados em más experiências … é bom pensar primeiro nas razões … e faço minhas as palavras do artigo de apresentação :
    “Para o sociólogo carioca Marcos de Oliveira Gaspar – filho de um cidadão português emigrado para o Brasil na década de 1950 – e que chegou a Lisboa em maio de 2001 por meio de uma bolsa do Ministério dos Negócios Estrangeiros Português (MNE), a discriminação com os brasileiros é um conflito interno entre os portugueses.

    “Como pode um povo discriminar os brasileiros e participar de forma tão intensa de um festival como o Rock’n Rio/Lisboa, com diversos artistas brasileiros. Acho que os brasileiros entraram em um processo de discriminação que é um fenômeno europeu, em decorrência da globalização econômica que, por conseqüência, atrai cidadãos de outros continentes que sofrem com as freqüentes crises econômicas, políticas e sociais das últimas três décadas.””

    Esta é a realidade pura e crua … não é xenofobia nem racismo nem nada mas sim … o mundo mau e ruim em que vivemos !!!

  27. Estou indo no meio do ano que vem estudar em coimbra…. Fiquei assutada com essas informações de preconceito que encontrei neste blog!!!

    Na verdade estou horrorizada! Meu namorado é português, ele adora o brasil, a cultura brasileira, adoras musicas brasileiras, acompanha tudo que acontece por aqui… assisti o programa Melhor do brasil, tudo pq realmente gosta do brasil e da nossa cultura..

    Não consigo acreditar que o preconceito por lá, seja tão grande!!!

    Até pq isso existe em toda parte, conheço um professor aqui, que foi estudar na espanha (e olha que ele é loiro, olhos claros) e foi perseguido pr uma gang por ser estrangeiro, disse estrangeiro, não brasileiro, até pq ele não tem traços de brasileiro, parece mesmo ser alemão, italiano… qq coisa assim

    E ainda assim, foi perseguido por ser estrangeiro..

    Não podemos dizer que nós não somos preconceituosos, em especial com os portugues, as melhores piadas, são sempre sobre portugueses (qdo não são de argentinos), e em geral sempre menosprezando, ou os diminuindo….

    O mundo todo é preconceituoso… não somos menos, nem mais..

    Temos que ao invéz de lamentar, enfrentar, encarar, aprender a se defender, andar de cabeça erguida!!

    E em especial, limparmos o nome que nós deixamos por ai, em especial sobre quem são as mulheres brasileiras, que embora tenham sim, um charme especial, são mulheres guerreiras! Não são corpos e bundas a disposição..

    Me lembro que certa vez, um prof comentou sobre a pessima imagem que nosso pais tem lá fora, ele disse que qdo alguem fala mal do nosso pais, em geral nós somos os primeiros a meter o pau, ou ajudamos a falar mal, vamos morar fora do pais e ficamos todos se achando, e acabando com o nosso país!

    Depois vamos dizer que ELES tem preconceito! e nós que temos vergonha de ser brasileiros!

    A limpeza de uma casa, começa de dentro pra fora! temos que limpar nossas cabeças, nosso modo de nos ver, ai sim mudaremos como os outros iram nos ver!

    Nosso país tem corrupção? tem… tem sem-vergonhas? tem… tem mulheres facil? tem….Tem violência? tem sim!!

    Mas nós temos, homens honestos que acordam de madrugada pra sustentar a familia, temos pessoas de bem que matam um leão por dia, temos a historia de um povo sofrido, que deu uma boa volta por cima, e esta crescendo cada dia mais! Temos mulheres maravilhosas, que são excelentes profissionais, donas de casa, mães e companheiras… que não se vendem, são conquistadas com amor e carinho! temos um povo que se une contra a violência do país, enquanto temos alguem cometendo um crime, temos alguem ensinando, trabalhando, vencendo doenças, cuidando de filhos especiais, doando, ajudando uns aos outros…

    Reparem que qdo acontece uma tragédia, o povo brasileiro logo se une em realizar campanhas, ajudas, pessoas sendo voluntarias.. Em outros paises isso não é comum, eles não tem essa demostração de amor ao proximo como nós temos..

    Vamos fazer campanha não de um brasileiro coitado que esta sendo humilhado, maltratado, mas sim de um brasileiro forte, guerreiro que vence qualquer tipo de objecção!

    É isso… sou brasileira, e não desisto nunca!!

    tenho orgulho de ser brasileira!

  28. Eu sou português e vivo no Brasil eu tenho sofrido descriminalização mas nao de todos so sao alguns brasileiros tolos e estupidos posso dizer que nem todos os brazileiros são iguais tal como os portugueses nem todos sao iguais comheso muitos brasileiros ek portugal que fizeram vida tem seus negocios suas vidas para mim descriminalização e merda para mik seja brasileiro portugues pdeto brqnco amarelo tanto me faz se todos pensasem como eu todos viviamos bem no mundo

  29. Esclarecimento sobre o contesto:

    http://brasileportugal.blogspot.com.br/2010/10/estudo-revela-o-perfil-do-imigrante.html

    Julgar todo um povo por causa de uma má experiência foi o que permitiu aos nazis justificarem as câmaras de gás.
    Deixemos todos de sermos recalcados e procurar alguém para culpar das nossas frustrações.
    Se os Brasileiros discriminam os Portugueses e vice versa eu até nem me admiro, se pensarmos que os Portugueses se discriminam entre si e os Brasileiros fazem o mesmo entre si…
    Tenham juízo, rebanho de recalcados, saibam respeitar os outros e exigir ser respeitados.
    Em todos os cantos do mundo que já visitei encontrei pacóvios e caipiras, matutos e bimbos, bocós e campónios, tabaréus e saloios, todos os adjectivos depreciativos que os frustrados inventam para diminuir outras pessoas e se alçarem a ser alguém à custa dos outros quando por si próprios não valem nada.
    É de quem é baixo procurar nos outros como diminui-los para ser alguém.
    Façam por ser alguém, não venham para a Internet descontar as vossas frustrações, sejam construtivos e contem como foram bem tratados na maioria das situações.
    Eu fui mal tratado em todos os países que visitei, e também muito bem tratado.
    Lembro o bom tratamento, fui assim tratado por pessoas, os animais recalcados que me trataram mal eu não considero cidadãos de pais nenhum.
    Visitei Espanha, França, Itália, Suiça, Republica Checa, Inglaterra, Escócia (sim, é um pais distinto, o conjunto dos países que identificamos como “Inglaterra” chama-se Reino Unido), Angola e Brasil.
    Em todos vi exactamente a mesma coisa, seres humanos com todos seus seus defeitos e qualidades.
    Eu sou um ser humano.

  30. A Responsabilidade é tôda vossa , brasileiros .
    Portugal , os Portuguêses Amavam o Brasil , até por volta dos anos 80 , quando se começou a percebêr a espécie de “irmãos” que vinham cá visitar-nos(artistas das novelas) e o que o brasileiros realmente pensam dos Portuguêses e o que falam entre si e não o que mostram quando cá vêm( vinham) .E isso tem sido mais evidente nos últimos 15 anos com casos de personalidades do Brasil que vinham cá e eram muito bem recebidas , mas que chegando ao Brasil era só insultar Portugal.
    Não me vou alongar mais .Apênas digo o seguinte .Vocês apênas estão a colhêr o Mal que semearam , o Desprêzo , a Hipocrisia perante Portugal e os Portuguêses .
    Aqui vai o testemunho duma Brasileira Digna que sabe o que é a verdadeira perseguição e Desprêzo a que os Portuguêses são votados aí nos brasis …
    Traduzo : «O Desprêzo pelos Portuguêses é um Despôrto nacional do Brasil !»

    Spite against Portuguese is a national sport in Brazil

    From Ms Viridiana Monticelli.

    Sir, I am Brazilian and worked in debt capital markets covering Iberia for many years. Your Lex note “Portugal” (March 26) makes perfect sense from an economic point of view (annexation by Portuguese-speaking Brazil) but culturally it strikes a raw note with the Portuguese because they have little left of what was once Portugal from a cultural point of view.

    Brazilian television has transformed the Portuguese language beyond recognition creating a generational divide, the equivalent of kids in London speaking with a Texan accent. We have digested their colonial influence and spat it back out in a very (Latin) politically incorrect way: the Portuguese are the lesser cousins and have always been the subject of rude jokes in Brazil.

    I think in the US it would be the equivalent of making jokes about the Poles, in England about the Irish or Scottish, in France about Belgians. In Brazil, if you want to say someone is slow, you can call him Manuel, which is the most common or typical name in Portugal.

    If you do not speak Portuguese I am not sure you can imagine the scale of the harassment that Brazilians inflict daily on Portuguese national pride, out of spite and relentlessly. It is a national sport, part of being Brazilian. Although most Portuguese have joked for years that your suggestions were the way to go, to make it official is very painful indeed.

    Viridiana Monticelli,

    Madrid, Spain »

    http://www.ft.com/intl/cms/s/0/0dc02976-5cb8-11e0-ab7c-00144feab49a.html#axzz41PWXmT9u

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: