População brasileira deve diminuir entre 2030 e 35

População será de 204,3 milhões em 2030. Em 2035, número de brasileiros será menor. Envelhecimento da população e poucos filhos são os principais motivos, aponta projeção do Ipea

Érica Abe Do G1, em Brasília

As primeiras análises da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD 2007), divulgadas nesta terça-feira (7) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), apontam que a população brasileira deve atingir o seu máximo em 2030, com um contingente de, aproximadamente, 204,3 milhões de pessoas.

Para 2035, entretanto, o Instituto projeta um contingente menor, de 200,1 milhões de pessoas no país. Este contingente é resultado, principalmente, da diminuição da mortalidade acompanhada pela queda na taxa de fecundidade, já identificadas anteriormente no país.

De acordo com o Ipea, a mudança mais importante é o envelhecimento da população: a população com menos de 15 anos, por exemplo, representava 33,8% da população total em 1992. Em 2007, esse indicador caiu para 25,2%. Já a população com mais de 60 anos respondia por 7,9% da população brasileira em 1992 e passou a representar 10,6% da população. “Em 2030, teremos uma estrutura etária super envelhecida, o que terá reflexos no mercado de trabalho e mudança nos arranjos familiares”, avalia a técnica do Ipea Ana Amélia Camarano.

Crescimento entre os idosos

Outro dado ressaltado pelo Instituto é o crescimento da população com mais de 80 anos. Entre 1992 e 2007, sua participação na sociedade aumento em 1,6 milhões de pessoas, passando de 1% para 1,4% da população.

Os dados apresentados nesta terça-feira mostram, ainda, que aumentou a proporção de idosos chefes de família, chegando a 13 milhões em 2007. Além disso, esses idosos contribuíam com mais da metade da renda familiar, em uma média de 54,9%.

.


Renda dos brasileiros mais pobres cresce 7%, diz Ipea

Isso é quase três vezes a média nacional. O número de pessoas extremamente pobres caiu. Para o instituto, são aquelas que vivem com menos de R$ 87 por mês.

Um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a renda dos brasileiros mais pobres cresceu sete 7% anualmente entre 2001 e 2007. Isso é quase três vezes a média nacional. O número de pessoas extremamente pobres caiu. Para o instituto, são aquelas que vivem com menos de R$ 87 por mês.

A desigualdade atingiu o menor nível da história. O Ipea concluiu que quase 14 milhões de brasileiros mudaram de faixa social entre 2001 e 2007. A maioria passou do grupo de baixa renda (famílias que ganham até R$ 545 por mês) para renda média, com ganhos de R$ 1.350 mensais. Apesar de também ter registrado mudanças, o Nordeste ainda tem quase metade da população (49,2%) na faixa de menor rendimento.

http://g1.globo.com/bomdiabrasil/0,,MUL770066-16020,00-RENDA+DOS+BRASILEIROS+MAIS+POBRES+CRESCE+DIZ+IPEA.html
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: