Pérolas: Mais ataques gratuitos vindos de um português

NOTEM A TENTATIVA MESQUINHA DESTA PESSOA EM INFERIORIZAR O BRASIL E OS BRASILEIROS USANDO ARGUMENTOS PRECONCEITUOSOS, MENTIROSOS E RESSENTIDOS.

De Tuga a 15 de Abril de 2008 às 14:33

Sou casado com uma Brasileira e tenho alguma experiencia em relação às diferenças entre o Português de cá e o de lá. Eu sou contra o Acordo. Até podia mudar todo a grafia, porque a diferença não são só as palavras, mas também o *modo* de falar, o sotaque, etc. Lá, as pessoas custam-me a entender e até já fui confundido com um argentino! A desculpa de que eles são muitos é irrelevante. Existe uma grande proporção de analfabetos, o nível cultural é baixo, existe muita pobreza e segundo a minha mulher nós cá compramos, lemos e damos muito valor a livros (pasme-se, e nós queixamo-nos de que ninguém lê) pelo que podem ser muitos, mas não têm um peso realmente grande como os números podem sugerir. Eu sou da área da informática e sempre preferi ler livros ingleses ou portugueses de cá. Os livros que na altura existiam em Portugues Brasileiro era normalmente motivo de chacota e riso geral devido ao modo de escrever e as palavras usadas. Evito ao máximo o PB na Internet. Wikipedia leio a versão inglesa. Tipicamente a versão Portuguesa costuma estar “infectada” com Português Brasileiro. É um sinal de que por mais que se unifique o vocabulário, de nada vai servir para unir as duas linguas. Porque de facto, são duas linguas separadas que se trata. As duas deveriam continuar a divergir, a evoluir separadamente, porque o contexto socio-cultural das 2 nações é bem diferente. Também não me preocupa o exportar do poderio brasileiro para fora. A única coisa que exportam são emigrantes (perdoem-me a expressão) e o nível de conhecimento do mundo fora do Brasil é limitado. O Brasil é enorme, o estado de S.Paulo é cerca de 3x maior que Portugal e mais ainda em população. Não os censuro portanto que olhem mais para o próprio umbigo que para o estrangeiro. Assusta-me mais, portanto, o termos de nos vergar perante uma lingua que nós não falamos. E como será no futuro? Em relação às palavras que agora ainda continuam diferentes? Irão haver mais “acordos” ortográficos para a frente?

Cumprimentos!

http://jazza-memuito.blogs.sapo.pt/217631.html?thread=279839

Anúncios

3 Respostas

  1. Fiz pesquisas!!!

    Analfabetos:

    Brasil– 12% (país em desenvolvimento c/ uma pop. imensa)
    Portugal– 9% (país dito desenvolvido c/ uma pop minúscula)

    Leitores: (empate)

    Brasil– + de 50 milhões (apaixonados) [27% da pop]
    http://idiomabrasileiro.blogspot.com/2008/06/revista-brasileiro-l-mais-livros-por.html
    Portugal– 3 milhões [27% da pop]
    http://www.leremespinho.com/blog/?p=202

    Emigrantes:

    Brasil– 4 milhões [2% da pop]
    Portugal– 4 milhões [40% da pop]

    O cara deve ser casada com aquelas brasileiras ignorantes com complexo de inferioridade monstro e auto-estima lá no pé. Coitada, deveria procurar um analista.

    Outra, se inveja matasse…
    Será que não perceberam que temos outro idioma e por isso não entendemos nada que eles falam? Tbm é impressionante como alguém de outro continente compra livros técnicos traduzidos para brasileiros em língua brasileira. Nunca vi nenhum livro no Brasil traduzido para o português, seria um contrasenso, além de serem idiomas distintos os termos técnicos devem ser totalmente diferentes.Imagina a confusão! Em Portugal não tem tradutor não?

    Quanto à separação do idioma brasileiro do português, isso é fato, nem merece comentários.

  2. Tbm não entendi essa deles comprarem livros traduzidos para brasileiros, quando eu baixo um programa e, por um erro, na hora de escolher o idioma clico no de Portugal fico louco, não entendo patavina, daí tenho que reinstalar, é muito chato. E Tbm prefiro inglês e espanhol ao português, mas felizmente 99% dos programas vêm em brasileiro.

    E dizer que o Brasil só exporta emigrantes,putz, esse cara não manja nada de economia e não conhece o Brasil, deve ser como a maioria dos estrangeiros que vão à praia e acham que sabem tudo sobre o país.

    Mas o que eles pensam ou deixam de pensar não importa, o que me incomodou no texto foi dizer que não entendemos os portugueses porque nosso nível cultural é baixo e porque somos analfabetos. O português é uma língua ininteligível e absolutamente incompreensível; dizer que o brasileiro se parece com português é forçar bastante a barra. Eu entendo mais um espanhol do que um portuga.

  3. Complementando os leitores…

    Retratos da Leitura do Brasil
    Resultado de pesquisa constata que brasileiro lê cerca de 4,7 livros ao ano

    A pesquisa constatou que, 95 milhões de pessoas, ou seja, 55% da população são leitores, enquanto 77 milhões, 45% dos entrevistados, foram classificados como não-leitores.

    A pesquisa apontou também que o brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano. Em algumas regiões o número é ainda maior, como é o caso do Sul, onde foi apurado que são lidos 5,5 livros por habitante ao ano. No Sudeste o número foi de 4,9, no Centro-Oeste 4,5, no Nordeste 4,2 e no Norte 3,9. A pesquisa confirmou também que as mulheres lêem mais que os homens, 5,3 contra 4,1 livros por ano.

    http://www.cultura.gov.br/site/2008/05/28/pesquisa-retratos-da-leitura-no-brasil/

    Uma pessoa me passou estes dados e eu resolvi postá-los aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: